Tsurugi no Michi ?

Gostaria de comentar alguns detalhes a respeito deste “sub-título” blog.

O ideograma que corresponde à palavra “tsurugi” (剣) significa, num japonês um pouco fora de uso, “espada”. E “michi” (道) basicamente significa “estrada” ou “via”. Sim, trata-se de uma forma pouco usual de descrever o Kendo, como o Caminho da Espada.

Minha experiência marcial deu-se inicialmente aos 7 anos de idade, no Karate estilo Shotokan. Acredito que, em função da idade e de ter sido uma criança hiperativa, poucas coisas puderam ser aproveitadas, de um “todo” filosófico deste tipo de Budo. Mas, certamente, algumas coisas ficaram estruturadas bem lá no fundo.

Algo de orgulho em carregar a herança de ancestrais japoneses. Algo de belo e poético nos movimentos e seriedade marciais, já admiradas com afinco naquela idade. Na força do kiai dos alunos e do Sensei. E uma boa coordenação motora para desempenhar os kata, bastando para isso treinar mais seriamente. Mas, sinceramente, como exigir esse compromisso de uma criança?

Essa experiência prévia durou alguns anos. Atingi a graduação de faixa roxa do estilo (2º kyu) com determinação, mas acima de tudo, com muita satisfação. Infelizmente, a mudança de local da academia para um endereço distante desmotivou, e no final encerrou minha carreira no estilo.

Muitos anos mais tarde, pude retornar aos treinos marciais, mas desta vez, mais amadurecido e já na universidade. Escolhi como modalidade o Taekwondo, arte coreana. E achei incrível as semelhanças técnicas e filosóficas com o Karate. Para aqueles mais íntimos do estilo, sabe-se que o foco da grande maioria das academias de Taekwondo no Brasil (e talvez no mundo) seja a preparação de atletas para a parte “esportiva” da arte, e por isso, desconheçam os elementos mais voltados realmente ao Mudo (termo coreano para o Budo), defesa pessoal e “filosofia marcial”.

Desta vez, a seriedade para com o desenvolvimento e o auto-aprimoramento na arte tinha uma sinceridade e significância ímpares. Apesar de diferença técnicas deste Mudo coreano, a vivência através do Taekwondo abriu a percepção para o desenvolvimento da pessoa, e não do lutador em si. Tal qual causa e conseqüência, acredito que seja isso que os mais experientes em artes marciais queiram dizer com “não existe treino da técnica sem trilhar o caminho. E não há como trilhar o caminho sem o treino da técnica”.

Alguns anos mais tarde, tive a oportunidade de me iniciar no Kendo, arte que me dedico quase integralmente (apesar de ainda visitar e treinar em meu antigo Dojan de Taekwondo quando posso). E então, muitas lembranças da infância afloraram, provavelmente pelo modo formal de treinamento, muito enfatizado nas artes japonesas.

Através dos anos, pude perceber de fato o que é “trilhar o caminho”, o que é “prática” o que é “treinamento” e o que é “vivência”. E o quanto tudo isso é um só: talvez seja essa a idéia de Zen, que tanto é abordada no treinamento marcial japonês. Por isso, seja Mudo ou Budo sua prática, a essência está voltada para o desenvolvimento interior da pessoa – desde é claro, ela esteja aberta a este tipo de percepção. E muitas mentes não estão.

Bom, relacionando todas essas lembranças e pensamentos no foco deste artigo, posso afirmar, em minha opinião, que a experiência marcial é única. Seja ela a arte que for, é o treino extensivo da técnica que levará ao entendimento do conceito de Do – o caminho. Por isso, não importaria qual o nome deste blog, ou qual arte estaria representando.

Por preferência pessoal e do círculo de convidados, O Espírito Marcial está intimamente relacionado ao Kendo, suas técnicas e seus princípios “espirituais” e “filosóficos”. Essa representatividade também é referência aos princípios marciais voltados à preparação mental que somente uma arte que vislumbra técnicas de fato letais pode oferecer, baseado em sua estrutura quase que milenar de formalidades, conceitos e registros. Vida e morte são discutidos e amparados pelos princípios do Bushido, tornando o conceito marcial mais completo e rico.

Espero ter sido claro. Tsurugi no Michi, Jien Tao. Kumdo, Kendo.

________________________

Notas Pós Publicação: acesse aqui um link do Blog Nanseikan falando sobre o conceito de “Ken”, a Espada. Texto em inglês.

_____________

…..O que achou da matéria? Sua opinião é importante para o crescimento deste trabalho. Caso tenha dúvidas ou queira conversar sobre o assunto, envie um e-mail para blog.espiritomarcial@gmail.com ou deixe seu comentário!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s