Exame de Graduação

…..O ser humano sempre teve o costume de hierarquizar em categorias todo tipo de coisa. A classificação de algo facilita a inserção em determinado contexto e permite sua mobilidade logística para qualquer que seja a finalidade. Em um primeiro momento, isso é perfeitamente aplicável em objetos inanimados, mas como conseqüência da natureza humana, isso também acaba se aplicando a pessoas, afetando a sociedade como um todo, por vezes de maneira negativa.

…..As artes marciais são heranças de culturas militarizadas onde a importância hierárquica assume uma forma artificial de classificação de indivíduos, de acordo com funções claramente definidas, afunilando na medida em que se sobe na cadeia de comando. Ordens e diretrizes originárias do(s) líder(es) reverberam por todas as camadas da hierarquia para que sejam cumpridas, através dos esforços executivos da base piramidal, custe o que custar.

Hieraquia no cenário da batalha.

…..Fora da esfera das forças armadas, a tradição das artes marciais também exigia naturalmente que houvesse divisões entre os alunos de uma mesma escola, basicamente para se adequar o treinamento ao nível de experiência e proficiência do praticante. Iniciantes, intermediários e avançados não costumam executar o mesmo tipo de treinamento de um modo geral, e no mesmo momento, embora existam práticas coletivas. Além do mais, existem benefícios e objetivos específicos quando um instrutor ordena que um iniciante enfrente outro, resultando em um tipo de experiência, e quando este precisará lutar contra alguém mais experiente, mudando drasticamente o foco do aprendizado.

…..O formato moderno de graduação em artes marciais (japonesas) é atribuído a Jigoro Kano, patriarca do Judo, desenvolvendo o conceito de separação dos praticantes pela experiência através de faixas coloridas amarradas na cintura. Curiosamente, as faixas coloridas possuem simbolismos próprios, destacando-se a primeira, branca, representando a pureza do coração daquele que está iniciando no caminho marcial, e a preta, a última cor recebida, indicando o fechamento de um primeiro ciclo de aprendizado.

Faixas coloridas: um bom estímulo para crianças.

…..No Kendo porém, não se usa faixas. É utilizado o termo kyu para graduações anteriores ao que nós ocidentais chamamos de “faixa preta”. Essa palavra pode ser abertamente interpretada como “classe”, sendo retroativa do 5º até o 1º kyu, aqui reconhecido como “aspirante”. Só quando o aluno prestar os devidos exames é que receberá a graduação dan, conhecida popularmente como “grau”, se aprovado.

…..Cada arte marcial exige a apresentação de determinados conhecimentos de seus praticantes nos exames de graduação. As provas são essencialmente teóricas (orais e escritas) e demonstrativas (execução de movimentos e combate) e representam o conhecimento e a capacidade do aluno como um todo naquele momento. No Kendo, as avaliações são divididas em três frentes, nesta ordem: exame prático (em dupla), kata (também em dupla) e teórico (solo), cada uma de caráter eliminatório.

…..O exame prático é decomposto em duas apresentações: kirikaeshi e shiai. Na primeira, o candidato deve executar uma série de ataques diagonais à cabeça do parceiro realizando uma movimentação corporal avançando e depois recuando. Por mais simples que possa parecer, existem centenas de variáveis que podem ser mensuradas e são levadas em conta de acordo com a perícia do candidato e da graduação pretendida. Na segunda, é realizado um combate com tempo definido, sendo exigido a execução de pelo menos um golpe certeiro, corretamente aplicado de acordo com os quesitos técnicos e espirituais ensinados. Todo o julgamento é absolutamente subjetivo, com uma banca composta de instrutores experientes de alta graduação.

Exame prático: kirikaeshi seguido de shiai.  Exame para 3º dan

…..No Kendo não importa a mera execução de técnicas. Existem fatores fortemente avaliados que às vezes são alheios a percepção das pessoas leigas, que envolvem o cuidado com seu uniforme, a fluidez de seus gestos, a calma para aplicar golpes e perceber brechas, a energia liberada e, certamente, as formalidades cerimoniais, como os exigentes rituais de reverência.

…..Para o kata, é determinado quem desempenhará o papel de atacante e daquele que revida. Esta é uma prova complexa, pois a movimentação exigida no kata é considerada como modelo para aplicação das técnicas de forma correta e idealizada, demandando grande compromisso do candidato nos treinos. Para um bom desempenho no kata, não basta apenas repetir seus movimentos à exaustão: é preciso conhecer sua história e significados das técnicas e posturas, compreendendo o todo, sua aplicação e dinâmica, sempre orientado por um instrutor qualificado. E isto é perceptível para os membros da banca avaliadora.

Exame de Kendo Kata para graduação em 5º dan

…..A prova escrita consiste em responder perguntas previamente estudadas de um gabarito oficial, que contém os conhecimentos mínimos para cada graduação, incluindo nomenclaturas, técnicas e detalhes da teoria do combate.

…..Embora muitos praticantes de artes marciais se dêem por satisfeitos com o cotidiano dos treinamentos, é inegável que a jornada de aprimoramento visando um exame de graduação traz enormes benefícios que transcendem a esfera técnica. A cultura de focar em objetivos, traçar uma estratégia e realizá-los com sucesso é um simulacro da vida profissional que exige a transposição de inúmeros desafios, cujos riscos são sempre preocupantes. A ampliação da percepção de algo que acreditamos dominar é determinante para a resolução desses desafios e o treinamento centrado desenvolve e condiciona a mente para receber com humildade novos pontos de vista, revisados e aperfeiçoados.

…..Uma vez detalhista e exigente, menos erros transparecem e quando ocorrem, o feedback está mais afiado para eliminá-los. Você se torna mais aberto a opiniões e trabalha arduamente na execução racional de suas técnicas. O senso de dedicação fica em alta.

…..O panorama emocional merece um destaque a parte. A ansiedade, um grande mal moderno, começa a ser controlada, nos tornando mais estáveis e preparados para lidar com as situações de risco. E independente da aprovação no exame, esse trabalho psicológico é positivo pois em caso de reprova, o candidato precisa lidar com sua frustração de cabeça erguida, ciente que fez o melhor possível, aguardando uma nova oportunidade, treinando firme até lá, renovando sua motivação quantas vezes for necessário.

.

Dicas e conselhos:

– Para os exames de graduação em geral, talvez não seja preciso criar uma rotina de treinamento especial. Em primeira instância, treine focado em todos os detalhes possíveis das técnicas, sempre questionando aspectos de avaliação para os movimentos. Aqui um ponto é importante frisar: embora a aprovação no exame seja uma meta, focar apenas no sucesso é um equívoco do ponto de vista do que podemos chamar de “ética” das artes marciais. O foco é, e sempre deverá ser a melhoria da qualidade de suas habilidades e conhecimentos, que por si só, transparecerão em sua pessoa. Seriedade e compromisso são o mínimo.

– Nunca treine por conta própria. A orientação do instrutor experiente sempre fará a diferença e somente ele poderá esclarecer os pontos obscuros e menos óbvios das técnicas e contextos de sua aplicação. Solicite a ele rotinas especiais de treinamento, visando cobrir suas principais deficiências, que certamente ele conhecerá como ninguém. Quando puder, peça autorização do instrutor para visitar outros mestres experientes e solicite conselhos.

– Procure um local que tenha um espelho grande. Verifique sua movimentação, ângulos corporais, enfim, todo o básico de sua postura para autocorreção.

– Postura e mecânica corporal nem sempre são o problema. O lado emocional é determinante para o bom desempenho nas avaliações. Por isso, é possível criar simulados nos moldes da avaliação dentro da academia, para o domínio da ansiedade. É bastante desejável que estes simulados sejam públicos (convide família e amigos) e que contem com avaliações sinceras do instrutor.

– Treine a meditação. E não é apenas sentar-se de olhos fechados. Trata-se de uma atividade revigorante que traz múltiplos benefícios para o metabolismo e para mente. Busque informações de como é feito, quais as posturas físicas e atitudes mentais. As técnicas respiratórias são excelentes para diminuir o ritmo cardiorrespiratório e controlar a ansiedade.

– Se for possível, filme seu treino para ter uma noção externa de como é sua forma de se movimentar e aplicar golpes. O que sentimos em primeira pessoa como experiência pode ser muito diferente do que pessoas de fora veem. Acreditamos estar nos movimentando rapidamente, golpeando com certa técnica quando, de repente, nos vemos em um nível muito inferior a própria expectativa.

– A apresentação diante da banca avaliadora é importante. Imponência, elegância, segurança, tudo isso pode ser demonstrado através da linguagem corporal e execução dos movimentos. Por isso, cuide da manutenção de seu equipamento e do seu uniforme, que deve estar limpo, bem passado e sem furos ou remendos. Se necessário, providencie um novo – sim, aquele que se importa de verdade e tem compromisso com sua arte marcial está disposto a fazer investimentos e sacrifícios, principalmente financeiros, para sua carreira.

– Não se intimide diante de taxas de inscrição, registro e afins. Torne o exame um objetivo de vida e poupe as quantias necessárias com grande antecedência, de meses.

…..Enfim, mesmo com todos esses fatos e comentários, ainda não existe uma justificativa forte para submeter-se a um exame de graduação, se não for do seu real interesse. Talvez por ser parte do próprio sistema ou da necessidade de categorizar atletas para que os menos experientes sejam preservados nas competições, a hierarquização do conhecimento e do nível de habilidade facilita o posicionamento do praticante dentro da esfera de sua arte marcial. Talvez a maior função de um exame de graduação no mundo moderno seja a motivação, um estímulo para continuar seu treinamento. Mesmo assim, muitas pessoas não estão dispostas a fazer o investimento financeiro e emocional cumprindo mais metas, pois há todo um mundo profissional que já exige muito das pessoas. Afinal, as prioridades existem para serem priorizadas.

…..É comum encontrar pessoas cuja vaidade está acima de sua graduação. Apesar de tal comportamento ser comum em jovens e adolescentes, é notório que o “poder” sobe à cabeça de alguns. Se for um incômodo, evite-as. Caso perceber tal comportamento do instrutor, troque de academia. O caminho das artes marciais valoriza o respeito e a humildade. Não se apegue a falsos profetas que se colocam acima dos homens comuns.

…..A graduação obtida é a prova da proficiência em sua arte marcial. O status automaticamente adquirido reflete seu conhecimento e habilidades. Dessa forma, é justo adequar sua mente e comportamento ao que é esperado de sua atual graduação. Este é um dos pequenos segredos das artes marciais.

_____________________________________

N.P.P.: Notas Pós Publicação

.

…..Confesso que não me senti a vontade fazendo este texto mas pela sua bagagem didática, achei que valia a pena publicar. É um conjunto de experiências pessoais que já me ajudaram bastante, pois sou o tipo de pessoa que fala rápido e bastante, mas aprendo pouco e devagar. O incômodo vem da sensação de se posicionar como “orientador”, sendo que não possuo graduação em qualquer arte marcial que já pratiquei para tanto. Mas de qualquer forma, prefiro pensar que é uma compilação de sugestões que podem fazer a diferença para quem quiser seguir tal modelo.

_____________

…..O que achou da matéria? Sua opinião é importante para o crescimento deste trabalho. Caso tenha dúvidas ou queira conversar sobre o assunto, envie um e-mail para blog.espiritomarcial@gmail.com ou deixe seu comentário!

6 comentários sobre “Exame de Graduação

  1. Principalmente aqui no nordeste, há uma necessidade de se graduar… O foco do Kendo deve ser, ao meu ver a própria evolução, independente dos títulos que você venha a receber… No entanto, quando se mora em um local mais afastado e relativamente desconhecido nesse âmbito, fica difícil evoluir sem a vinda de pessoas mais experientes e com uma boa bagagem… Trazer alguém para treinar um grupo de shoshinsha acaba se tornando mais difícil e a mentalidade é uma… Trazer para treinar um grupo mais experiente é totalmente diferente e dá um ânimo até maior… Graduação tem sim sua importância e, como a competição, faz parte do Kendo…

    Ah, e por sinal, no Kendo pode se avaliar também o sexto kyu!

    • Concordo com tudo o que disse, Renato! Acredito também que se uma academia possui muitos graduados, é uma forma de atrair mais interessados, tendo mais pessoas para orientá-las.

      Obrigado pelo comentário!

    • Olá Renato, aqui em São Carlos, o sexto kyu não é conferido por exame e não há certificado para esse grau. Diz-se que está no sexto kyu todo o iniciante que passou apenas pelo crivo da vontade de vir treinar. E os certificados são emitidos pela ASCK, após avaliação do sensei, para o quinto kyu em diante.

      Abraços!

  2. Bianchi: Interessante. Eu não sabia de dojos no Brasil que conferem kyu a seus praticantes. Que critérios vocês utilizam? à partir de que kyu pode usar bogu?

    Abraços.

    • Olá Mário! O critério é a experiência do sensei, é ele quem julga e atribui os kyus. Creio que a qualidade do kihon e a expressão do Ki devem ser pontos que ele considera. A partir do terceiro kyu nossos alunos estão aptos a usar bogu.

      Abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s