Treinando com 8° dan

O dia 18 de dezembro de 2014 é um marco histórico para o interior paulista. Pela primeira vez na história do Kendo brasileiro, as academias da região puderam se reunir em São Carlos (350 km de São Paulo) para treinar e receber orientações de um mestre de grau máximo da arte, o 8º dan.

O senhor Takehiko Ichiki (61), nasceu em Oita-ken, Japão. Ingressou na Polícia de Kyoto aos 18, onde se aposentou com 52 anos. Durante 21 anos foi do time de elite da polícia (“tokuren”), tendo participado por 19 anos consecutivos do maior campeonato entre policiais do Japão (“Zennihon Keisatsu Taikai”) e no campeonato “Zennihon Senshiken Taikai” participou uma vez, ficando entre os 16 melhores do Japão. Atualmente mora em Shiga-ken. Tem a expressiva marca de ser graduado 8º dan aos 47 anos, onde na época o mais jovem a receber o título tinha 46. Em breve visita ao Brasil, foi convidado pelo professor Yashiro Yamamoto, fundador da Associação São Carlos de Kendo a ministrar um breve treino que contou com a presença de diversas academias do interior paulista: Jundiaí, Campinas, Araraquara, Ribeirão Preto e Bauru.

Ichiki Sensei chegou a São Carlos de carro, dirigido por Kenji Nakahara, em companhia do prof. Nelson Kuniji Toida, Diretor Técnico da CBK e Carolina Akemi Martins Morita, que recentemente participou do Campeonato Latino-Americano de Kendo em Mérida, no México. Com grande simpatia e carisma, conduziu um treino básico de uma hora (com impressionante tradução simultânea pela professora Harumi Nakahara) para fortalecer os quesitos essenciais da técnica em Kendo: suburi, ashi-sabaki, kirikaeshi e men-uchi. E é claro que, na presença de tal instrutor, os quase 50 participantes deram o seu melhor, fazendo bonito e ganhando muitos elogios.

Treino com Ichiki Sensei 8º dan Kendo

Em seguida, o treino de mawari-geiko (luta em sentido giratório, onde os participantes em duas filas frontais ao término do tempo andam para a direita para trocar de parceiro) dominou o restante da noite. Em pouco tempo, a fila para treinar com Ichiki Sensei era extensa e a grande maioria pode experimentar a técnica, energia e percepção do 8º dan. Em um ritmo non-stop, ele lutou com 43 pessoas, fato impressionante para alguém de sua idade, visto que treinara nos dias anteriores em diversas academias de São Paulo, Suzano e Rio de Janeiro.

Como é de costume em visitas de chefes ou autoridades, o jantar foi servido em uma tradicional churrascaria da cidade, finalizando o evento com bastante comida, bebida e animadas conversas.

Jantar de confraternização

Segue breves depoimentos de quem lutou com o Sensei:

Y.: (2º dan): você sente algo diferente mesmo quando realiza o kamae com ele. Quando pensa que está impondo seme e dominando o centro, na verdade, ele estava fazendo. Quando acredita que adentrou o maai para o golpe, ele estava o tempo todo aguardando seu golpe. Quando golpeava, ele simplesmente já havia feito seu movimento. Notável sua destreza em perceber o momento exato de meus ataques, diretos ou através de breves fintas. Ichiki Sensei teve a gentileza de trocar 7 ou 8 golpes ‘para valer’ comigo antes de começar um extenso kakari-geiko.

S.: (1º dan): Lutar contra um 8º dan é algo extremamente desolador. Tudo o que você tenta fazer, ele já fez primeiro. O tempo todo Ichiki Sensei está em um kamae estável e firme, por mais que você faça suri-ashi para os lados ou para frente tentando ganhar o centro, você não consegue achar uma brecha. O pior é quando você acha que vai induzi-lo à um movimento e assim pegá-lo no contra-ataque, é ai que você nem vê o golpe. Impressionante como não dá tempo para fazer waza de contra-ataque. O mais incrível é que ele faz tudo isso de forma extremamente natural e serena. Foi um enorme prazer tentar lutar com ele.

K.: (2º dan): Lutar com um 8º dan foi uma oportunidade sensacional. Dentre todas as diferenças entre os Senseis que costumamos lutar e um hachidan uma me chamou muita atenção: quando se luta com outros Senseis você sente o ki te barrando, impedindo que você avance, que você controle o maai. Já com Ichiki Sensei você se sente confortável a controlar o maai, você tem uma falsa impressão de que está controlando esse maai, porém um milésimo antes de você acertar o golpe, ele se antecipa e neutraliza seu ataque. Minha energia e forma de lutar, explosiva e intensa, contrasta perfeitamente com a paz e tranquilidade de Ichiki Sensei. Aprendi muito em apenas alguns minutos em que lutamos e por isso sou muito grato a ele.

Y.: (4º dan): não deu tempo para analisar o Ichiki Sensei, pois se não atacasse, ele atacava. Se atacasse, levava contragolpe certeiro e se parasse ele atacava e levava ippon. Em menos de um minuto de luta, estava fatigado e o Sensei nem tinha aquecido. E ainda tinha mais um minuto de luta. Pareceu contenda de adulto com criança.

No dia 19 de dezembro, por sugestão do Fernando Eiji Toida, discípulo do Ichiki Sensei e filho do profº Nelson Toida, foi feita uma visita ao Saltão em Brotas. Ichiki Sensei ficou encantado com o ar puro, com os cantos dos passarinhos, com a paisagem da mata e a beleza do salto/cachoeira. Feliz, falou que foi a primeira vez que viu um beija-flor.

Durante o almoço, o Sensei ensinou a diferença entre esporte e “Budo ”/arte marcial. No esporte o ‘Sen’ (frente, iniciativa, ação) está com quem saca (tênis), chuta (futebol) ou arremessa (basebal) enquanto no “Budo ” o ‘Sen’ é disputado. Explicou ainda que no Japão, as pessoas tiram os sapatos antes de entrar em casa e os alinham para que fique fácil de calçar quando sair. Este é um conceito também de ‘Sen’, pois se prevê o que necessitará na “frente”. O Kendo precisa ser útil no dia a dia, completou.

cachoeira

.

[Aguardem atualização, com trechos filmados do treino]

.

_____________

O que achou da matéria? Sua opinião é importante para o crescimento deste trabalho. Caso tenha dúvidas ou queira conversar sobre o assunto, envie um e-mail para: blog.espiritomarcial@gmail.com ou deixe seu comentário!

Postado em 12 de Janeiro de 2015.

10 comentários sobre “Treinando com 8° dan

  1. Foi demais mesmo! Um querido professor. Também deixou sua marca aqui conosco no Rio de Janeiro.

  2. Treino com graduados, em qualquer arte marcial, sempre é legal se nós estamos dispostos a abrir todos os sentidos para perceber essas sutilezas e admitir que ainda estamos LONGE… :)

  3. Muito obrigado por compartilharem de momentos importantes como este. Fico contente que, apesar de estar distante, posso acompanhar sobre o que acontece no cenário nacional do nosso kendo. Mais uma vez obrigado e Parabéns pelo site.

    • Olá Erick,

      Obrigado pela força! Esse treino valeu muito a pena, não sei quando poderemos ter a orientação de um mestre com essa graduação. Claro que admiramos muito nossos Senseis mas mesmo eles ficam igualmente animados com a oportunidade!

  4. Parabéns e obrigado por compartilhar. Grande abraço.

  5. Aqui em Teresina-PI temos um grupo que começou no fim de novembro do ano passado, graças ao estímulo de um ikkyu de Fortaleza.
    Na terça de Carnaval, aproveitando a estada aqui em Teresina, treinamos pela primeira vez com um sensei, 4o dan: o estimado sensei Gustavo Gouveia, de Recife-PE. Foi para nós uma ótima oportunidade, uma grande honra.
    Pedimos que torçam por nosso grupo.

    • Olá Luís,

      Excelente, são graças a esses esforços que o Kendo cresce no Brasil, em especial na região NE. Não deixem de ter um relacionamento muito próximo com os demais grupos da região, sempre se aprimorando e participando dos eventos. Força!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s