Mibu Gishiden

…..O filme é uma excelente produção do ano de 2003, vencedor do prêmio de melhor filme da Academia Japonesa de Cinema. Conta com um profissionalismo digno das grandes produções ocidentais, contendo forte carga dramática, ao gosto dos japoneses. Eles costumam acreditar que somente nos momentos mais difíceis é que o verdadeiro caráter e sentimentos são revelados, daí a preferência por sequências tensas e de exagerada carga emocional.

…..O ator Kiichi Nakai (Yoshimura) cria um personagem de grande carisma, é muito difícil não simpatizar com sua figura. Ele é ótimo nas cenas de luta, conferindo presença e elegância esperadas de um mestre espadachim. A alternância de sua personalidade gentil para o homem cumpridor do dever é inspiradora e cativante.

…..Koichi Sato faz um cínico e frio Hajime Saito, que é a personificação da grande catarse do filme. Sua presença garante apreensão e expectativa na cena, além de divertidos momentos onde sua seriedade é aplacada com a humildade e irreverência involuntária das atitudes de Yoshimura.

…..Os personagens coadjuvantes, principalmente os membros do Shinsengumi como Souji Okita e Isami Kondo constroem uma atmosfera interessante, principalmente nas cenas de luta, onde Okita, jovem e prodigioso mestre da escola Tennen Rishin Ryu, elimina com satisfação seus inimigos, mostrando-se sem adversários à altura.

O ator Masato Sakai como Souji Okita: sanguinário.O ator Masato Sakai como o capitão Souji Okita.

…..Os familiares de Yoshimura compõem as motivações dramáticas de seu personagem, mostrando que não é possível julgar um homem pela sua aparência abobada, que é uma forma de filtrar toda desgraça e infortúnios que o cercam, fazendo o possível para inspirar e ajudar os outros, acreditando firmemente que este é o caminho do samurai.

…..É difícil não dizer que é um excelente filme, mas não o coloco como obrigatório, da mesma forma que são os filmes de samurai de Akira Kurosawa. Mas para qualquer fã do gênero, e do cinema japonês, é mais do que um excelente entretenimento, principalmente para jovens que acompanharam o manga Samurai X, que retrata a mesma época e alguns dos personagens.

.

.

Resenha (atenção, pode conter trechos que revalam o enredo do filme):

…..O filme inicia com a visita de um velho senhor ao médico, onde leva seu neto doente para ser examinado. O que parecia ser apenas uma consulta rotineira se torna um turbilhão de memórias quando o idoso percebe a fotografia de um samurai sobre uma mesa, que reconhece de imediato e, discretamente, pergunta ao médico sobre essa pessoa. Começa então uma narrativa do passado.

…..O panorama histórico se dá nos últimos dias do xogunato Tokugawa, que após a traumática chegada dos navios estadunidenses no Japão em 1853, muda todo um cenário de relativa tranquilidade no país que se isolou do restante do mundo. A desestabilização política, ansiada por anos de tensão e desafetos, faz com que os feudos do sudoeste iniciem uma campanha militar contra o regime governamental.

…..Após inúmeros atentados e tumultos causados pelos monarquistas (facção pró Imperador e inimiga do xogunato), é ordenada a formação de um grupo de elite chamado Shinsengumi para restaurar a ordem na capital Kyoto.

…..Inicialmente, esta corporação busca alistar não somente samurai errantes de todos os cantos do país, mas também enviados especiais dos feudos aliados de Tokugawa. É neste momento que aparece  o samurai Kan’ichiro Yoshimura, no processo de seleção, que consiste em lutar contra os oficiais. É apresentado como mestre diplomado (ou licenciado) da escola Hokushin Ito Ryu em seu feudo, impressionando e abastecendo de expectativas os observadores.

Hokushin Ito Ryu: Kan’ichiro Yoshimura.

…..A primeira cena de ação é repleta de tensão quando o capitão Shinpachi Nakakura avalia as habilidades de Yoshimura, oferecendo a ele um protetor, alegando que poderia levar um golpe. Yoshimura afirma o mesmo para o capitão, que indignado e surpreso diz que não precisa. Durante a vigorosa troca de golpes, os oficiais percebem a real habilidade de Yoshimura e em dado momento crítico da luta, a interrompem e declaram empate, antes que o pior possa acontecer. Kan’ichiro então não é só contratado para integrar o Shisengumi como também é designado instrutor de kenjutsu da tropa, o que o surpreende e alegra muito.

Nakakura e Yoshimura: combate real.

…..Todo o filme é baseado em qual é a conduta e os sentimentos que direcionam Yoshimura no cumprimento do dever e suas ações. É um samurai interiorano, de sotaque caipira e maltrapilho, sempre que pode choraminga um pouco de dinheiro a mais nos pagamentos dos salários e bonificações. Seu jeito pouco formal e gentil acaba por conquistar a simpatia não somente da tropa, mas como dos oficiais, com uma exceção: o capitão Hajime Saito.

…..Saito é um personagem extraordinário nesta trama, conhecido pela frieza e desapego pela vida, executando membros da tropa que considerava indignos ou incômodos, fato normalmente ignorado pelos demais oficiais. Ele atua como contraponto a gentileza e humanidade de Yoshimura, levando-os ao conflito em dado momento: Yoshimura é emboscado e luta, alegando que não deseja morrer dessa forma. Saito se enfurece, questionando que tipo de samurai não deseja morrer. Alega que luta para matar e esse é o único motivo de sua existência. Yoshimura argumenta firmemente que luta para não morrer, pois seu dever não é com a morte. Ao fim, Saito afirma que tudo não passou de uma brincadeira e que ele estava apenas testando a habilidade de Yoshimura. A partir daí, abre-se a percepção para a profundidade do personagem.

Yoshimura incomoda Saito com seu jeito caipira.

…..É curioso perceber que Saito é um espadachim canhoto, portando as espadas do lado direito de sua cintura. Apesar de odiar Yoshimura, Saito é pego por ele em uma investigação interna sobre o assassinato de um membro: Yoshimura analisa a natureza dos ferimentos do cadáver e conclui que somente um habilidoso espadachim canhoto poderia ter desferido tais golpes. Sem saída, Saito é obrigado a comprar seu silêncio.

…..Ao poucos, e alternando com a cena da clínica médica do início do filme, é revelado o passado sofrido de Yoshimura, que era professor dos jovens samurai de seu pequeno e podre feudo, assolado pela fome. Quando sua mulher tenta se matar no desespero da falta de comida para sustentar os 3 filhos, Yoshimura toma sua decisão: abandonar o feudo e alistar-se na nova tropa em Kyoto, enviando para casa todo o dinheiro que puder para o sustento de sua família.

…..Fugir do feudo era considerado crime, por isso o faz em segredo, mas avisa seu senhor, Jiroemon Ono, que foi seu amigo de infância, e ainda matinha forte laço de amizade. Apesar de declarar Yoshimura publicamente um desertor, auxiliou secretamente em sua viagem e escreveu uma carta de recomendação.

…..Com o passar do tempo e das maquinações políticas, os combates vão se tornando cada vez mais desiguais, a ponto do xogum fugir e abandonar os soldados. Na batalha Toba-Fushimi o Shinsegumi se encontra encurralado e novamente o coração de Yoshimura encanta os colegas famintos e feridos, oferecendo apoio moral e comida, que ele mesmo recusa em prol dos companheiros. Ao final, os monarquistas se apresentam como o verdadeiro exército imperial do Japão, o que intimida seus inimigos, que não desejam lutar contra o Imperador. Mas Yoshimura se levanta e abre um inspirador discurso sobre honra e dever, e que lutarão até a morte iminente. Até mesmo o insensível Saito se comove, gritando desesperadamente para Yoshimura não se levantar e se proteger, reconhecendo nele o verdadeiro ideal de samurai, e que um grande e virtuoso homem como ele jamais deveria morrer, ao contrário dele mesmo, um homem cruel, rude e sem apego.

Yoshimura enfrenta as tropas imperiais.

…..O filme ainda mostra a relação de dever e o sacrifício do samurai ao seu senhor, em uma dolorosa e angustiante sequência, onde Yoshimura, ferido mortalmente, se despede de sua família, longe da terra que tanto ama. De volta ao consultório, é revelado o destino de Yoshimura ao idoso, e a identidade dos presentes.

…..Veja uma entrevista com o ator Koichi Sato, com legendas em inglês nos sets de filmagem de Mibu Gishiden:

_____________

…..O que achou da matéria? Sua opinião é importante para o crescimento deste trabalho. Caso tenha dúvidas ou queira conversar sobre o assunto, envie um e-mail para blog.espiritomarcial@gmail.com ou deixe seu comentário!

2 comentários sobre “Mibu Gishiden

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s