Jodan no Kamae

…..Este artigo tem por objetivo ilustrar um pouco de minhas vivências e observações pessoais no que diz respeito ao treinamento e associações deste kamae.

jodansJodan no Kamae visto no Kata e no Shiai

…..Essa postura tem se tornado popular internacionalmente não somente através do apelo estético diferenciado do chuudan-no-kamae, mas também por praticantes ilustres como Masashi Chiba Sensei (8º dan Hanshi), Kenji Shodai (famoso lutador da polícia de Kanagawa e vencedor do 56º All Japan Kendo Championship) e Koichi Seike (semifinalista por equipes do 13º WKC).

chiba_shodai

Masashi Chiba  e Kenji Shodai

…..Cada postura (kamae) das artes da espada japonesa possui um significado agregado pela linha de pensamento do estilo que a contém e um leque de técnicas que envolvem seu uso. O (hidari) Jodan-no-kamae, postura em que se ergue a espada e ambos os braços acima da cabeça, avançando um passo com o pé esquerdo, é conhecida como a “postura do fogo”, não sendo difícil a compreensão para nós ocidentais, de que se trata obviamente de um kamae ofensivo para o combate. Tal qual um arco já estendido, a postura visa somente o ataque, possuindo uma gama relativamente reduzida de waza (técnicas), em função de seu conceito e mecânica. Essa associação imediata com o fogo também relaciona o jodan como kokorogamae ou “postura do coração”. Dos cinco kamae do Kendo, é a mais fácil de se entender a relação postural do kamae com o estado mental/espiritual do praticante. Tenho uma teoria pessoal onde a linguagem corporal de cada postura é a conseqüência natural de uma forma de pensar ou sentir, para em seguida agir. No caso, o jodan é o fogo, energia que inflama o praticante e o direciona para o ataque, no sentido de destruir, esmagar, eliminar o inimigo sem piedade ou hesitação. Não basta somente “querer ser ofensivo”, é necessário que a ofensividade seja expressa em todos os sentidos: no ki, no kiai e na atitude. Somente assimilando este conceito, será possível praticar o jodan, com pelo menos, o espírito correto.

katate_men_ura

Katate-Men

…..Um ponto fundamental que gostaria de focar é a postura mental/espiritual. Certamente, tudo depende de como o conceito da postura deve atuar sobre as ações daquele que a utiliza. Entendendo que o jodan-no-kamae é uma postura ofensiva e intimamente relacionada ao fogo, o lutador que a adota não deve recuar. Não no sentido estratégico, mas no sentido mais literal possível. Acredito que ao lutador em jodan não é permitido dar um passo sequer para trás. Se o fizer, não estará mais em kokorogamae. Assim sendo, mesmo que consiga pontuar ou vencer uma luta, o kamae se torna vazio e é tempo desperdiçado. Torna-se “joudan” (brincadeira). Se não me engano, isso é atribuído ao deus indu Fudomiyo (ou Acalanata) que é conhecido como “o imóvel” ou “o inabalável”, uma analogia mitológica ao estado mental concentrado e determinado que o lutador em jodan deve possuir. Fudomiyo segura em uma mão a espada Taya, que além de dominar demônios, serve para eliminar todo resquício de dúvidas na alma, o que também se torna uma analogia direta, pois em jodan é comum atacar com a espada somente com uma mão, e sem hesitar jamais.

Fudo

Fudo – 不動 – sempre representado envolto em chamas

…..Abrir concessões à conveniência das situações não é uma atitude correta no entendimento das artes marciais. O verdadeiro guerreiro, lutador ou praticante sério atua dentro da esfera das normas de sua arte, buscando aperfeiçoamento segundo a lógica de seu estilo. Atuar fora dessa esfera é ceder ao que é mais fácil e conveniente. Assim sendo, isso o tornaria inferior perante os demais, tendo a honra manchada e sendo conhecido por tão ter “pulso firme” ou “não agüentar o tranco”, por assim dizer. E uma pessoa que não tem palavra de cumprir o que se propôs ou não segue as diretrizes que deveria seguir não passa de um hipócrita, certo?

…..Mas retornemos ao ponto técnico. Existem alguns waza que consideram o recuo do corpo como elemento estratégico. Acredito que não tenho competência para comentar ou julgar algo no sentido que mencionei no parágrafo anterior. O exemplo mais prático é o Ippon-me do Kendo Kata. Com ambos os praticantes assumindo a postura jodan-no-kamae; um deles ataca e o outro se desloca momentaneamente para trás, esquivando-se do corte por uma questão de centímetros, avançando novamente para o ataque frontal (técnica conhecida por men-nuki-men). Neste caso, o recuo não entra em conflito com o conceito do kokorogamae de sempre avançar. Porém, é comum observar nas lutas que o seme do oponente em chuudan-no-kamae muitas vezes “quebra” o kamae do lutador em jodan ou o faz recuar, amedrontando-o. A energia (ki) do lutador em jodan deveria ser superiora ao oponente e figurativamente falando, esmagar a energia do adversário, mesmo que este avance destemidamente. Aquele que recua não é um verdadeiro kokorogamae.

56th AJKC

O ippon que definiu o campeonato

…..Outro ponto técnico importante para análise seria o maai (algo como raio de ação). Para o lutador em jodan, o maai se torna maior, em função da forma que empunha a espada. Considerando-se também que os katate-uchi (ataques utilizando apenas um braço) são as técnicas primárias, isso se torna verdadeiro. E o erro mais comum de qualquer iniciante no jodan é se aproximar demais do oponente para facilitar seu ataque. Na verdade, isso só favorece a ele, pois permite que ele também possa trabalhar melhor sua impulsão. Ao dominar o adversário do maai correto, o lutador em jodan controla a situação. Mas para isso, é necessário treinar o braço para descer de forma fulminante o golpe katate-men ou katate-kote, especialmente no debana-waza (técnicas ofensivas de antecipação). Ainda espiritualmente falando, o lutador em jodan deve possuir o espírito de ai-uchi, onde ambos lutadores se golpeiam no mesmo momento, de forma fatal. O sentido disso seria que a força e agressividade seriam fatores diferenciais para que sua espada atinja primeiro o adversário, mesmo que este já tenha iniciado um movimento ofensivo, “matando-o” primeiro, o que diminuiria o grau de “letalidade” de seu golpe. Além do que, para aquele que luta com kokorogamae, nenhuma oportunidade pode ser desperdiçada.

Katate Kote

Katate-kote

…..O treinamento específico para aplicação dos golpes em jodan deve ser observado com atenção. Existe a necessidade expressa de fortalecer como um todo, o braço esquerdo. E justamente isso pode vir a ser um problema. Pessoas desinformadas ou não orientadas por um Sensei tendem a exagerar nos treinamentos de fortalecimento do braço esquerdo, o que é bastante perigoso. Levantar pesos ou treinar com equipamentos inadequados e sem instrução certa podem criar lesões, principalmente no pulso, que é muito exigido para a prática de jodan.

…..E por que treinar jodan? Essa é uma pergunta que muitos Senseis fazem aos seus alunos quando estes despertam interesse. E a resposta ao pedido de treino pode ser um pouco desanimadora, já que os mestres geralmente não são incentivadores das práticas tidas como pouco ortodoxas. Sem dúvida, esse conservadorismo é característica típica da cultura japonesa. Por outro lado, o Sensei espera que o aluno tenha amplo domínio do que considera básico no Kendo: a maestria do chuudan-no-kamae. E esse é o cenário que me deparei ao pesquisar um pouco o assunto. A recomendação geral é que se existe o interesse, deve começar a estudar a partir do 2º dan, pois os praticantes já têm amplo conhecimento nas bases do Kendo, mas principalmente por estarem familiarizados com o golpe tsuki, praticamente ausente nos treinamentos de iniciantes. Lutar em jodan sem levar tsuki é mera brincadeira, é ser “café-com-leite”.

jodan_tsuki

Olha o que te espera…

…..Outro caso interessante é que, dado o conceito de agressividade do jodan, é comum que o lutador peça licença ao adversário antes de assumir a postura. Os orientais são particularmente sensíveis a certas atitudes, que podem ser interpretadas como rudes ou grosseiras, e o Kendo busca polir as atitudes do ser humano ao máximo em suas definições. É realmente paradoxal.

…..Falando competitivamente, iniciar-se no jodan-no-kamae é quase um retorno às origens. A busca para se adaptar às novas variáveis causa certo retrocesso nas habilidades de luta do praticante. Afinal, são novas regras em jogo e seria natural o praticante ficar confuso e pouco confortável durante um tempo. Dessa forma, é comum “apanhar” um pouco no início da prática. E prepare-se para ter a garganta alvejada. Em jodan, ambos os kote estão expostos, ambos os lados do do, mas principalmente o tsuki se tornará o alvo primário dos oponentes que lutam em chuudan. Mas, obviamente, nem tudo será desvantagem, pois o lutador em jodan se tornará um especialista em men – com uma ou duas mãos (katate e morote). O mínimo descuido do adversário será fatal, pois cabe, na minha visão, obrigatoriamente ao lutador em jodan a iniciativa do primeiro ataque. Basta existir – ou induzir – a brecha. Infelizmente, isso torna o ataque previsível e, sabendo disso, muitos adversários em chuudan preferem contar com o contra-ataque, pois sabem que o kokorogamae não permitirá o seu avanço ou a tentativa ofensiva.

jodan_shiai

Força e presença

…..Treinar o jodan é um grande desafio, pois os aspectos envolvidos requerem esforço e compromisso do praticante. O tipo de treino que cansará muito mais os músculos do braço, poderá machucar o pulso esquerdo pelo excesso de repetições e tensão, formigamento, calos, câimbras, além de ter a garganta muito alvejada pelos colegas. Definitivamente, não é um caminho fácil. Porém, considero outras bases e posturas de luta como parte integrante do universo da espada japonesa e são complementos de um todo. Se existe um motivo para uma pessoa se interessar pelo jodan-no-kamae, é este: conhecimento.

_____________

…..O que achou da matéria? Sua opinião é importante para o crescimento deste trabalho. Caso tenha dúvidas ou queira conversar sobre o assunto, envie um e-mail para blog.espiritomarcial@gmail.com ou deixe seu comentário!

7 comentários sobre “Jodan no Kamae

  1. Estou iniciando meu treinamento no Kendo, e ler este texto fo muito instrutivo, neste momento em que busco informações sobre o Caminho. Há um Shodan que usa Judan-no-Kamae no Dojo onde eu treino, e fico fascinado em ver seu estilo. Graças a este artigo pretendo, no futuro, estudar este Kamae pelo conhecimento que ele pode me gerar principalmente, visto que acredito não possuir um espirito compativel com tal postura, mas percebendo a importancia de seu estudo.

  2. Olá Tom.

    O jodan é um caminho muito difícil, tanto no sentido físico como no sentido mental. Não que tenha “algo de especial” em relação ao Kendo de uma forma geral mas justamente por isso é recomendado que se inicie os treinamentos a partir de certa graduação. Muitos mestres são céticos quanto ao ensino do jodan para aspirantes, shodan ou nidan.

    Mas perseverança é fundamental na prática do Kendo e ter objetivos de curto, médio e longo prazo faz parte do nosso aprendizado. Fico muito contente em ter contribuído pelo menos um pouquinho com seu caminho. Obrigado pelo comentário no meu blog. Bons treinos!

  3. Nossa execelente artigo!!!!
    Como o Tom acima iniciei a pouco tempo meu treinamento em jodan, e busco mais informaçoes sobre o estilo, realmente o desgaste fisico é muito maior, mas sem esforço nao ha resultado.
    O artigo me incentivou mais ainda sobre a tecnica.
    Abraço

  4. Olá Rodrigo,

    Muito obrigado pela visita! Boa sorte em seu treinamento e muito cuidado com as lesões!

  5. Olá, eu percebi que neste estilo se usa a perna esquerda na frente (como é mostrado e escrito no texto) ao invés da direita, mas eu gostaria de saber se é possível realizar isso com a shinai, ou seja, segura-la com a mão esquerda em cima e a direita em baixo, nunca perguntei isso para o meu sensei e também nunca encontrei alguém segurando desse jeito. É contra as regras, ou simplesmente considerado errado? Poderia me responder?

    • Olá Vítor,

      Meu conhecimento é bem limitado, mas já vi sim essa postura que você mencionou, e se não me engano chama-se “gyaku-jodan”, e funciona tecnicamente do mesmo jeito que o jodan normal, só que “espelhado” como você descreveu. Geralmente quem assume tem algum tipo de problema ósteomuscular, dores ou algo nesse sentido, não sendo muito usual. Mas não acho que seja considerado errado, existem várias posições alternativas que não são mais aplicáveis no Kendo como ele é hoje, muitas vezes mostrados por mestres de 8º dan (e não é de bom tom que nós “meros mortais” tentemos imitar hehe).

      Agradeço sua visita e o comentário!

  6. Pingback: Aventuras no treino de Jodan no Kamae – Shinai na Caveira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s