Kendo para Mulheres

…..Constantemente aparecem nos mecanismos de busca que apontam para o Espírito Marcial solicitações de informações relacionadas ao treino de Kendo para mulheres. Apesar de considerar impróprio que um homem faça observações para o universo feminino, talvez algumas opiniões possam interessar, somente a critério de informação.

…..Primeiramente, o estudo antropológico, social e psicológico qualifica o homem como um ser que, instintivamente, valoriza uma série de aspectos primitivos, principalmente provações físicas para assumir o posto de “macho alfa”, que tem domínio de território e influência sobre as fêmeas de seu grupo. Neste escopo, os desafios físicos que estimulam o homem a exercer tais comportamentos, muitas vezes imprudentes, arriscados e agressivos são bastante atrativos.

Intimidação para autoafirmação e dominação.

Intimidação para autoafirmação e dominação.

…..Biologicamente, a mulher possui capacidades diferenciadas, cabendo seu papel de reprodutora da espécie. Mesmo não sendo a regra na natureza, entre humanos é consenso que as mulheres não possuem as mesmas capacidades físicas que os homens (como força bruta, explosão muscular e velocidade), além de possuir mecanismos psicológicos mais refinados, que não necessariamente incluem o conceito de provações físicas de autoafirmação e de se impor sobre outros de modo agressivo.

…..Por isso, reside certo mistério em mulheres que adotam atividades esportivas, em especial artes marciais como seu caminho. Mesmo o apelo cultural que o Budo oferece em matéria de “espiritualização” e “filosofia”, além de vantagens como condicionamento físico e alguma capacidade de defesa pessoal, ainda me parecem insuficientes como atrativos imediatos.

…..Tentando excluir preconceitos machistas (e talvez não conseguindo), observa-se em academias de ginástica que práticas que objetivamente cultivam o corpo são a preferência feminina geral e, para lutas, quando muito, observo tendências da moda vigente, como o boxe e o MMA hoje.

…..O Kendo é uma atividade física bastante exigente, mas que não se adequa a certas expectativas, como modelagem corporal ou condicionamento físico pleno, mesmo que certos treinos possam consumir de 800 até 1000 kcal.

…..Muito do interesse masculino pelo lado prático do Kendo vem da possibilidade de manusear a espada e aprender técnicas de combate, além de poder aplicá-las integralmente através de lutas e competições.

…..Existe certa “rudeza” na atividade: o imenso número de repetições de golpes com a espada de bambu pode formar bolhas e calos nas palmas das mãos do praticante, principalmente nos primeiros meses de treino. Para os homens, marcas orgulhosas de sua masculinidade e força. E para as mulheres?

Força e imponência.

Força e imponência.

…..Os pés são intensamente exigidos, pois o Kendo é treinado descalço e através de movimentações que deslizam a sola dos pés constantemente, gerando igualmente calos, bolhas e até mesmo dolorosos cortes na pele ressecada.

…..Não há exposição do corpo em si, no sentido de apreciação: todos praticam sob pesada vestimenta e protetores corporais, e distrações e conversas não são bem-vindas. Socialização é permitida apenas no início e fim dos treinos, com raros espaços para conversa durante pausas em treinos mais longos.

…..Ao lutar contra homens, é possível que receba golpes descuidados em locais desprotegidos, que além da dor, podem causar hematomas. E receber seus golpes na cabeça, mesmo com o capacete protetor pode ser desagradável (principalmente se o colega for iniciante).

Técnica e concentração.

Técnica e concentração.

…..Geralmente, lutar com os rapazes exige certos cuidados, pois eles reagem de maneira explosiva, confiando bastante na sua velocidade, demandando uma postura mais cuidadosa e que provavelmente não dependa tanto de força e rapidez, mas de percepção, timing e estratégia.

…..Não posso afirmar a razão, mas as mulheres no Kendo são aproximadamente 20%, quando no máximo 30% do corpo de alunos de uma academia. Nas artes marciais em geral, talvez seja pelas condições muito rígidas de treino e pela luta corporal que pode causar lesões, em especial no rosto ou ainda, gerar uma impressão masculinizada da mulher praticante.

A armadura branca é muito usada pelas mulheres.

A armadura branca é muito usada pelas mulheres.

…..Não é uma questão de apontar aspectos negativos do treino de Kendo que possam desestimular novas integrantes. Porém, é uma realidade que poderia frustrar expectativas errôneas sobre o que é e do que se trata a prática. Ainda assim, bastam certos cuidados com a pele e com a conduta durante o treino que o todo é bastante seguro e gera grande satisfação em certos perfis.

…..Para aquela que não prioriza uma modalidade que gera benefícios externos imediatos, o Kendo é uma atividade das mais completas, pois trabalha extensivamente uma série de fatores que são aplicados no cotidiano de trabalhadoras e estudantes: força de vontade, disciplina, resistência mental e postura de autocorreção. Existe boa influência de mestres e colegas em um ambiente que prioriza caráter, educação, formalidade, dedicação e respeito. Um grande espírito de fraternidade que cria laços fortes com os companheiros de treino, que muitas vezes se tornam grandes amigos.

…..Em minha academia, temos uma campeã e uma 3º lugar do Campeonato Brasileiro, o evento mais importante da modalidade no país. Embora sejam moças de compleição frágil e delicada, lutam de igual para igual com os colegas homens, que não poupam golpes ou oferecem gentilezas durante uma luta: neste momento, todos são iguais, com uma pequena exceção aos movimentos truculentos de tai-atari, cujo choque corporal frontal é intenso e pode realmente machucar.

Existem competições exclusivamente para mulheres.

Existem competições exclusivamente para mulheres.

…..Segue então, uma pequena pesquisa feita com colegas de academia, tentando localizar a mulher no contexto do Kendo. Não foram oferecidas respostas prévias para as perguntas, sendo coletadas as opiniões diretas:

1) Quais artes marciais ou lutas já praticou?

Boa parte das entrevistadas praticaram apenas o Kendo, sendo que pelo menos metade da turma já tinha passagem por outras artes marciais, como Karate e Kung-fu.

Já praticou artes marciais?

2) Como conheceu o Kendo em sua cidade?

A grande maioria conheceu através de amigos que puderam indicar de alguma forma a academia. No caso, um pouco por contatos dentro do próprio clube japonês da cidade. Raros seriam aqueles que visitaram por acaso o clube e lá se depararam com a prática do Kendo.

Como conheceu o Kendo?

3) Qual sua idade quando começou no Kendo?

Pelo menos dois terços antes do 20 anos, em idade jovem (provavelmente favorecido pelo networking local), mas ainda uma boa porcentagem de adultas interessadas.

Com que idade começou no Kendo?

4) O que acha mais difícil no Kendo?

Sem dúvida, é a carga pesada de treinamento, que exige bastante do corpo, principalmente em treinamentos longos. O uso da armadura nas primeiras sessões também é um evento interessante, pois a grade e o fechamento do capacete podem dar uma falsa impressão de claustrofobia, mas rapidamente se acostuma. Importante observar que não se trata necessariamente de um ponto negativo da prática, pois o domínio do conteúdo do treino faz parte da realização pessoal do praticante.

O que considera mais difícl no Kendo?

5) O que te atrai no Kendo?

Neste quesito, é o de sempre. Cultura, disciplina, admiração pelo modo de pensar do samurai, todos os valores exaltados pelas artes marciais japonesas. Muito interessante observar que não há pretensões esportivas nas opiniões das entrevistadas.

O que mais atrai no Kendo?

_____

N.P.P.

…..Bom, creio que a intenção de não ser machista ou sexista tenha ido por água abaixo, dependendo da interpretação do/a leitor/a. Claro que não é toda mulher que tem apenas a aparência física como objetivo em treinamentos esportivos, nem que beleza seja o único ponto de interesse feminino. Longe disso.

…..Ainda assim, a percepção que se tem ao observar o todo nos leva a opiniões estereotipadas e rasas, e se você não faz parte da maioria, parabéns. Não que haja algo errado com o pessoal que prefere modismos ou atividades tradicionais de academia, mas o texto levanta uma indagação básica, mas não responde: o que leva a mulher a escolher o Kendo como sua atividade?

O filme Bushido Sixteen tem como ambientação o Kendo.

O filme Bushido Sixteen tem como ambientação o Kendo e a rivalidade feminina.

…..De certa maneira, a perspectiva do homem é simples e clara, uma vez que considero o mundo, a realidade que vivemos um modelo dos interesses e atividades masculinas, de um modo geral. Os pontos de vista femininos, por instinto, não visam ganho de poder ou ego em destaque como “líder” de manada. Penso que visam o bem estar da família e maior capacidade de comunicação entre as pessoas. Seus fatores de autoestima são sem dúvida ligados à beleza em um primeiro momento, mas também valorizam muito realizações pessoais, porém sem aquela intenção tipicamente masculina de sobrepujar outra pessoa através da força ou capacidades, preferindo uma satisfação mais íntima e particular. Realização através de um trabalho intenso e sincero, que permite ter orgulho de suas capacidades, fortalecendo sua autoestima como mulher forte e poderosa, ainda que humilde e delicada.

Presença feminina nas competições.

Presença feminina nas competições.

…..Desculpe aos colegas homens, pois parece que o texto é intencionalmente feito para assustar as candidatas interessadas em Kendo. Mas sei que, aquelas que o escolhem, tem realmente algo de especial. Na minha opinião.

_____________

…..O que achou da matéria? Sua opinião é importante para o crescimento deste trabalho. Caso tenha dúvidas ou queira conversar sobre o assunto, envie um e-mail para blog.espiritomarcial@gmail.com ou deixe seu comentário!

21 comentários sobre “Kendo para Mulheres

  1. Mude o nome do blog para espírito chauvinista!

  2. Mais uma boa postagem. Bem sucinta também.
    Podia ter falado um pouco das mulheres kendokas da seleção brasileira que são amplamente admiradas lá fora tendo até artigos sobre elas na Kendo World Magazine.

    Vale a pena lembrar que apesar de o kendo ser um esporte com vocação originalmente masculina (as competições femininas no WKC só apareçam a relativamente pouco tempo e mesmo no Japão mulheres só foram incluídas nos treinos nas reformas do pós guerra.)
    o melhor resultado do Brasil em mundiais foi de uma mulher (Em 1997 –Miwa Onaka ficou em 2.º lugar no X Torneio Mundial em Kyoto) e quem chegou mais perto de igualar esse feito foi outra mulher (Eliete Harumi Takashina em 2009 ficou em 3.º lugar no XIV Torneio Mundial em São Paulo)

    • Olá Helton,

      Não posso concordar que seja uma postagem “bacana”, pois tenho recebido inúmeras reclamações de mulheres que consideram este post “ofensivo” ou “machista”. Bom, já abro o texto falando que é uma percepção limitada de homem, por isso devem ler por conta e risco…

      Tentei focar mais na expectativa de uma eventual interessada, e não apenas nas estrelas da seleção, que são realmente atletas formidáveis. Obrigado pela sugestão e pelas informações disponibilizadas!

  3. Se uma mulher procura um esporte ou arte marciais seja qual for sua razão , ela sabe bem que hematomas , machucados , calos e dor fazem parte do processo . E tenho que descordar nesta história de instinto biológico porque eu tenho certeza que nem todo homem procura uma arte marcial por poder e nem toda mulher por uma moda . O que você escreveu não foi uma visão masculina em geral , foi a sua visão e a sua visão infelizmente é machista . Li seu texto atras de informação e a obtive nisso tenho que parabeniza-lo . Só quero te lembrar que é através de dor sangue e muita força e resistência por horas que a maioria das mulheres dão a luz . Biologicamente somos criadas para reprodução e perfeitamente capazes de aguentar isso .

  4. Realmente não há um motivo para mulheres escolherem o kendo. Eu mesma não sei exatamente o porque escolhi kendo. mas posso afirmar que muita coisa q esta nesse texto é verdade!
    Meu sensei diz q não é a gente q escolhe o “esporte” mas o “esporte” escolhe a gente. e o Kendo nos escolheu! ^^

    • Muito obrigado pela visita e opinião, Amanda :)

      Concordo com você. Acredito que o Kendo é um tipo de caminho para encararmos nossas deficiências, e tentar ser sinceros com nós mesmos e ver o que está faltando. E ele nunca tem fim, essa é a beleza.

  5. Com certeza o post não foi super inspirador para mulheres, mas também não deve ser chamado de chauvinista. Concordo com a Amanda, “muita coisa q esta nesse texto é verdade!”
    Depende de vários fatores para que a mulher adote o Kendo como esporte e estilo de vida. Assim como qualquer outra prática de esporte. Tomo de exemplo eu, odeio musculação e acho a coisa mais vaga do mundo levantar peso e depois ficar se olhando no espelho e tirar fotos. Por outro lado existem mulheres/homens q acham isso fundamental e estilo de vida. Chauvinista da minha parte? ou só opinião?

    • Olá Tania,

      Obrigado pelo comentário! Parece que hoje em dia as pessoas precisam ser robozinhas do politicamente correto e não tem mais direito a uma opinião, sem ser severamente criticadas. Definitivamente, não foi intenção ofender de forma alguma, apenas apresentar uma percepção que pode estar alinhada com certos grupos estatísticos ou não.

      Em todo caso, concordo que talvez existe um exagero negativista na forma com o que o treinamento marcial é retratado no texto, o que só aumenta minha admiração e respeito pelas mulheres que o tomam para seu estilo de vida. Agradeço seu ponto de vista maduro e ponderado, bem como sua polidez para comentar.

      Agradeço também sua visita! :)

  6. chauvinista ou não, com certeza a presença feminina é algo inspirador em qualquer área.
    Temos muito a aprender com todos e certamente as mulheres são guerreiras por natureza.

  7. Aproveitando esse post, qual a sua experiência com crianças e adolescentes? Há público nessa faixa que tem interesse em treinar conosco, mas gostaria de saber quais as impressões de quem vivencia com essas diferenças.

    • Olá Edilson,

      Infelizmente não tenho qualquer experiência com crianças, na minha academia sempre foi procurada por adultos, e muitas vezes, adolescentes. O que percebo é que os jovens se interessam mais quando há grupos de amigos que treinam ou ingressam juntos. É raro algum que apareça sozinho e dê continuidade ao treino.

      Não sei se o ambiente não é acolhedor o suficiente, ou o treino é muito pesado, e também não fazemos uma divulgação ampla… o que recomendo é um treino bem amplo e explicativo, percebo que eles não gostam de repetição (o que mais tem no Kendo) e acho fundamental explicar a natureza e objetivo de cada exercício como elemento motivador, e sempre mostrar depois no keiko onde aplicar tais habilidades.

  8. O numero de mulheres praticantes de artes marciais é pequeno em praticamente todas as artes marciais. Minha maior experiência é com o karatê, treino há 13 anos e já fui instrutor por 4 anos. O maior numero da presença feminina acontece na infância e adolescência (no karate), e isso se deve ao fato dos inúmeros projetos sociais que leva o karatê gratuitamente em projetos sociais em parcerias com escolas e prefeituras. Porem a maioria esmagadora abandona os treinos durante a adolescência por volta dos seus 15 anos, são raros os casos de permanência . O mesmo acontece com varias outras artes marciais, tenho um grande network e posso confirmar isso. Diria que no karate temos uma faixa de 20% de praticantes femininas adultas
    .
    Quanto às artes marciais modinhas (sem querer ofender) apresentam um publico feminino maior, mas vale lembrar que apresentam uma alta rotatividade, ou seja, alunas entrando e saindo
    .
    Quando ao post a minha opinião é que você tem uma idéia equivocada quanto ao numero de praticantes mulheres em outras artes, se no kendo elas representa de 20 a 30 porcento diria que esta na media em se comparando a outras artes. E o seu argumento por elas supostamente não escolherem o kendo pode ser aplicado à maioria senão TODAS as artes marciais (atividade física exigente, repetições, hematomas, não modelar o corpo etc.). Bem… Esta é minha opinião pessoal, é claro
    .
    Para os que falam em machismo os números são evidentes. A presença masculina é esmagadoramente predominante, FATO! Ao invés de criticar porque não argumentam o porquê desta situação?

    • Olá Célio,

      Bom, como você bem disse, são os fatos. Talvez não nos caiba julgar nada mas é óbvio perceber que os ambientes marciais foram construídos POR homens e PARA homens, não levando em consideração qualquer aspecto feminino em sua composição. Talvez o mesmo possa ser dito sobre as artes da guerra (e consequentemente, as marciais modernas) mas este quadro está tentando se equilibrar gradativamente. Existem praticantes mulheres excepcionais em todas as artes, talvez seja uma questão de tempo para que a cultura marcial seja mais abraçada pelas mulheres, que estão descobrindo mais e mais sobre este universo. Obrigado pela visita e pelo comentário!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s